Por que você precisa saber o arquétipo da sua empresa?

Atualizado: 20 de Dez de 2019

Você já reparou que há certas marcas que você se identifica muito? E que há marcas que são adoradas por outros, mas não por você? Não falo só do produto, mas da empresa em si.


Há algo que torna você muito mais que cliente, você vira propagador da marca.


Essa conexão se dá no subconsciente, através de imagens e histórias, e damos o nome de ARQUÉTIPOS.


Você precisa aprofundar o conhecimento da sua marca.



Marca não é apenas o que as pessoas veem. Ela tem um significado e o significado de uma marca é seu bem mais precioso e insubstituível. O que a sua marca significa para as pessoas é tão importante quanto a sua função - se não mais - porque é o significado que nos diz “isso parece certo” ou “isso é para mim.”


O significado fala para o sentimento ou lado intuitivo do público; cria uma afinidade emocional, permitindo que os argumentos mais racionais sejam ouvidos.

Os sentimentos evocados pelos arquétipos fazem com que a pessoa satisfaça sua necessidade e motivação humana básica (como por exemplo: estabilidade, independência, domínio e pertencimento). O produto serve como uma ponte entre a necessidade e a sua realização.


O que são arquétipos?



Os arquétipos foram melhor estruturados na psicologia por Carl Jung. Ele diz em seu livro Psicologia e religião:


Arquétipos são formas ou imagens de natureza coletiva que ocorrem praticamente em toda a Terra como constituintes de mitos e, ao mesmo tempo, produtos individuais de origem inconsciente. 

Para Jung, os arquétipos não são apenas idéias elementares, mas também sentimentoselementares, fantasias elementares, visões elementares.



São 12 os arquétipos:

O inocente;

O sábio;

O explorador;

O fora da lei;

O mago;

O herói;

O amante;

O cômico;

O homem comum;

O cuidador;

O governador e

O criador.


Todo mundo possui os 12 arquétipos, porém há momentos e circunstâncias da vida em que um arquétipo é mais proeminente que outro, mas os 12 estão em constante ação dentro de cada pessoa.


IMPORTANTE! As marcas não devem manifestar vários arquétipos, elas devem se posicionar com um arquétipo forte, pois assim vão conseguir agregar valor e realmente satisfazer seus clientes.

Se as empresas cumprem a promessa de significado na mesma medida em que fornecem produtos de qualidade, elas ajudam os clientes de duas maneiras:

Fornecendo um produto ou serviço funcional eAjudando as pessoas a experimentarem sentido na vida cotidiana. 


Se não o fizerem, não vão conseguir fidelidade à marca.


Para que serve o branding arquetípico?



Ao identificar o arquétipo da sua marca posso melhorar a comunicação e atingir mais clientes.


Para fazer bem o branding arquetípico, é aconselhável explorar os arquétipos em seus graus mais profundos e humanos, em vez de tratá-los superficialmente como estereótipos sem vida. Enquanto o estereótipo está ligado a uma imagem preconcebida de determinada pessoa, coisa ou situação, o arquétipo está ligado a um sentimento, um desejo, uma vontade.


Vamos usar como exemplo o coaching Tony Robbins. Pensemos nele enquanto marca. Qual arquétipo você acha que essa marca representa? Quem prega a transformação de uma coisa em outra é o MAGO. Ele transforma a ineficiência, a impotência e a incapacidade em realização. Quando o arquétipo da sua marca entrega um produto de qualidade, SUCESSO.


O trabalho não para por aí.



Uma vez identificado o arquétipo é hora de contar a história da sua marca e propagar seus valores. O personagem da sua marca precisa viver no mundo real, mas os personagens só vivem dentro do histórias.


É aqui que estabeleço meu ofício, pois a melhor forma de contar uma história é com de técnicas de escrita e de roteiro.


Última palavra

Espero ter contribuído para despertar seu interesse no aprofundamento do universo dos arquétipos. Desde que comecei a estudar, apaixonei-me pelo tema. É uma ferramenta muito poderosa na comunicação.


Para começar sugiro que leia o livro O HERÓI E O FORA DA LEI - Adquira o seu!



Muito obrigado e até a próxima!

9 visualizações
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter