A ORDEM DO TEMPO de Carlo Rovelli

Atualizado: 20 de Dez de 2019



Olá, queridos bibliófilos e queridas bibliófilas! Bem vindas ao canal LER É VERBO, seu canal de livros e escrita. O que é o tempo para você? Pois saiba que essa é a pergunta mais correta que alguém pode fazer sobre o tempo. Hoje vamos falar de um livrinho... perspicaz. A ORDEM DO TEMPO de Carlo Rovelli.


Mas antes, quero te lembrar de duas coisas. Primeiro a importância da sua inscrição neste canal, dessa forma você não perde nenhuma atualização. E segundo a discussão e filosofia levantada aqui neste vídeo continua no PODCAST LER É VERBO, lá aprofundo um pouco mais os pensamentos.


Vamos começar? Fiquei tão inspirado com este livro que até fiz um poema. (Música.)


Ontem pensei que o tempo era uma flecha

Hoje não existe nem mesmo o arco

Haverá tempo? pois a conta não fecha

Memórias inda navegam o mesmo barco


Braga, Frederico. 13. Nov. 2019


Disse que fiquei inspirado, mas também fiquei deprimido. Sempre que eu lia livros de física sobre o tempo tinha um conforto e uma frustação. O conforto era saber que, apesar de apaixonado pelo tema, não ia entender os conceitos físicos propostos. Eu entendo a ponto de explicar para você que está aí, mas não entendo de coração. E essa era minha frustação. Adoro o assunto, já li muito sobre Einstein e o espaço-tempo, mas nunca, de fato, compreendi.


E estava feliz da vida, lendo meu livrinho, passando por todos os assuntos conhecidos e tal, chegando no tempo quântico (que aqui, parênteses, se entede menos ainda. Aqui acredito que nem mesmo os cientistas acreditam muito nas próprias palavras), beleza. Até que Rovelli, Carlo Rovelli vem com um conceito do tempo, mais poético que científico, que eu entendi! E fiquei deprimido... justamente, depois de tanto tempo, ter finalmente compreendido o que é o tempo!


De acordo com a Wikipedia:


Carlo Rovelli é um físico e cosmologista italiano. Rovelli é conhecido por sua interpretação relacional da mecânica quântica. Desenvolveu juntamente com Lee Smolin uma teoria da gravitação quântica, conhecida como gravidade quântica em loop.

E ele escreveu esse pequeno livro chamado a ORDEM DO TEMPO que tem uma estrutura muito interessante. Vejamos:


Já na primeira parte ele desintegra o tempo. Tira o tempo de sua unicidade, direção, presente e independência. Ou seja, o tempo não é algo absoluto, um valor universal, como achava Newton. Como aprendemos a física Newtoniana no colégio, temos a noção de que o tempo tá lá. Fixo, pra todo mundo. Mas aí vem Einstein e diz, primeiro, que o tempo é relativo. Pode ser relativo à distância, velocidade, gravidade. Beleza. Tem um exemplo muito bom no livro para ele exterminar o agora que é assim.


"Um amigo seu muda para outra galáxia. Nessa galáxia a luz demora 4 anos para ir da terra para lá e mais 4 anos para voltar de lá. Então você pergunta para o seu amigo: "E aí, cara, como estão as coisas por aí agora?" e depois de 8 anos ele responde "Tá tudo bem!" Mas ele já pode ter morrido. Então o que é o agora? O agora não significa nada.


Beleza, depois de mostrar que o tempo era uma flecha e depois de várias pessoas teorizarem que o tempo é uma sobreposição de realidades, vem a física quântica. E aí entramos na segunda parte do livro O MUNDO SEM TEMPO. Primeiro o autor alerta para a nossa falta de gramática, de palavras para descrever algo que nunca vimos antes. Então, ou temos que resignificar nossas palavras, ou inventar umas novas, mas para algo que é impossível ser visto ou sentido. Difícil. Segundo que a teoria quântica do capeta vem pra dizer que o mundo é feito de eventos e não de coisas. Então, na real, sabe aquela teoria do Einstein de espaço-tempo que a gente estava quase entendendo? Pois é... ela também não existe, porque não existe espaço. Nem tempo, nem gravidade... existem eventos, não existem coisas. A dinâmica do universo são as relações quânticas elementares.


E aí chegamos à terceirta parte do livro. AS FONTES DO TEMPO. E ele já começa com um soco na cara: o tempo é ignorância. Não só o tempo, mas tudo. Então como explico a gravidade? Se me afasto das relações quânticas elementares, começo a ver... desfocado. É o que ele diz. Então assim, você tá vendo uma célula, certo. Você afasta dessa célula, você começa a ver um tecido... afasta mais, vê um músculo, afasta mais... vê um braço. É isso, então o tempo é o desfoque de relações dentro de outra perspectiva... mas qual perspectiva? A humana.


E aqui que eu entendi o tempo. O tempo não existe, ou nada existe de fato, além da mudança. (disse mudança, mas o autor chama de entropia). Então onde está o tempo? Dentro de nós. Cada um tem seu tempo, porque nosso cérebro, como máquina sinistra que é, ele tem memória. Ele percebe algo no passado e prevê o futuro. Nós somos bons em prever o futuro, foi assim que sobrevivemos na natureza. Através da criatividade, vemos o futuro. Então o tempo existe, para nós, humanos, dentro de cada um de nós.


O tempo, portanto, é isto: existe inteiramente no presente, na nossa mente como memória e como antecipação.

Percebeu como é difícil esse entedimento, mas quando você o pega... pegou. Igual a outro vídeo que tenho aqui: BIOCENTRISMO, que algumas pessoas não entendem, mas outras pegam o conceito.


Então para terminar, nada melhor do que o próprio autor, cientista poeta que é, resumir suas ideias assim:


Eu sou este longo romance que é a minha vida. É a memória que une os processos espalhados no tempo dos quais somos constituídos. Nesse sentido, existimos no tempo. Por isso sou o mesmo que era ontem. Compreender a nós mesmos significa refletir sobre o tempo. Mas compreender o tempo significa refletir sobre nós mesmos.

E aí, gostaram? Entenderam? Conseguem explicar esse conceito para alguém? Deixe seu comentário aqui e vamos nos falando! Não perca tempo! Aliás, pode perder, porque ele não existe mesmo.


Lembre-se de se inscrever no canal e vamos com tudo! Até a próxima, um abraço e boa sorte! 🍀


Valeu!


4 visualizações
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter